Tuesday, November 29, 2022

Bonita

 Tu és um bocado bonita
Mas não és ela
Não lhe tens a formosura
As curvas e a altura
Só a morenice mediterrânica
E a magreza
De dançarina hispânica
Essa tua herança 
Que a viola faz vibrar
Nesse som que não engana

Ela é upgrade de ti em tudo
Como a encomendaste aos céus
Para ele 
E é por isso que ela 
É a mulher da vida dele
Neste mundo como ele existe


Monday, November 28, 2022

 Só as tuas mãos
conseguiram tocar-me
o som do silêncio
que preencheu o vazio

Talvez

 Talvez me tenhas amado
e eu a ti também
de um jeito
tão desassossegado
por não podermos ir além

Talvez o teu respeito
por mim se acabou
no dia em que rejeito
esse tão teu suposto amor

Porque tu não és carinhoso
nem és decente comigo
talvez nunca tenhas sido
sequer meu melhor amigo

Talvez esse sofrimento
essa mágoa e tormento
que me deste diariamente
o tenhas feito de propósito
e nunca planeies retirá-los
desse depósito que criaste
com tijolos de dor e ódio
do teu coração no meu.

Saturday, November 26, 2022

 Gosto tanto de quando és maiúsculo
Embora para me pores minúsculo
Que quase não importo com tanta dor

(Orgulhar-se de alguém por se conseguir expressar e ser honesto consigo e com os outros, independentemente de tudo, é também anar completamente)

Wednesday, November 23, 2022

O Inamável

 Será que realmente chegaste a pensar e a crer que me amavas? Como é que isso seria alguma vez possível? Se ninguém me conhece e até a minha própria mãe não me amou? 

Eu sou a besta brutal e horrorífica que vomita fel do nojo dos Homens. 

Cada célula do meu corpo
Foi destruída por traumas
A violência de todos tiranos
Sobre tudo o que eu era
E de tanto lutar e defender-me
Com as poucas armas que tinha
Parece que o meu ser desatina
Porque não consegue se salvar

Agora mesmo explodi 
Como granada a quem espoletam
A mim mesma agredi
Quando oiço deles e me afectam

A minha vida foi sempre este inferno
De me desrespeitarem e insultarem
Quando tudo o que peço para mim
Ou mesmo até para servir a eles
Nunca lhes é algo que os danifique
Mas insistem em nunca me ouvir
A não ser quando lhes é do interesse

Não sei mais o que fazer já há muito
Tudo o que tento acaba por falhar
É só tormento e lamento a dobrar
Insisti em melhorar e ter de fingir
Quando eles continuam horríveis



Tuesday, November 22, 2022

 Pensei em como alguém diria "hoje o Amor morreu", quando soubesse que morri e que até podia ser isso que eu gostava que dissessem.

 Suas notas têm tango
Passo a passo firmes
Balançando

Sunday, November 20, 2022

Porque somos nós

 Quando sou sussurro
Tu és grito
Quando sou tempestade
Tu és resoluto
Quando sou sossego
Tu és animação
Quando sou vibração
Tu és má onda
Quando sou silêncio
Tu és desilusão
Quando sou o que penso
Tu és perdição
Quando sou vento
Tu és condenação
Quando sou amor 
Tu és ilusão
Quando sou racional
Tu és danação

Mas quando eu sou eu
E tu és tu 
Não há separação
 Espero o teu perdão
como uma mãe
 que espera o filho
 regressar da guerra

Friday, November 18, 2022

Quebro-me

 Quando te quebras
És como barro ou cristal
Ficas em largos cacos
Ou mil pedaços?

Quando te quebras
És como as ondas ou a terra
Produzes som ou murmurar
Em aridez ou rebentação?

Quando te quebras
Procuras o meu rosto
As minhas mãos
Ou sou eu a razão 
do teu quebrar?

Quem te ama desfeita
Parecendo-lhe completa?
 A crença que vocês depositaram em mim
Fez-me crer no que eu fazia

A crença que depositei neles
Passou de bem-valia a à revelia 


 As relaçőes são tão líquidas, que as pessoas bebem-nas de penalty, apanham bebedeiras e passam a vida a vomitar. 
 Resgata-me do meu interior
Como eu a ti te rapto do teu
Vem, volta a chamar-me amor
Leva de novo tudo o que é meu

Cobre-me de cobertores de carícias 
Beija-me com lábios de delícias
Baila nessas envolventes fantasias
Como se fossem os últimos dias

Repete-me todas as palavras e sons
Que me disseste sem mos dizer 
Demonstra-me agora esses teus dons
Pra juntos fazermos o que nos apetecer
 Anoiteceu em mim
Pedaços do girassol morto
Matado por ela
Ficaram soterrados
No meu tenro interior, mas
Como é bonito o meu amor
Quando a lua o ilumina
A estrela que mais brilha
No firmamento
Salva esse sentimento
Que não há em lugar nenhum
De tão raro, lato e profundo
Agarra-me esta noite
No pano de veludo azul escuro
Porque eu sem ti não duro
E não caibo num céu assim

Amor

 Achas que um dia vais esquecer tudo e depois esquecer-me a mim também? É, é isso que costuma acontecer, especialmente se nunca fui mesmo alguém que amaste de verdade. Lembro de quando o Oliveira ensinou-me que nem sempre dizemos que temos saudades e quando pensamos na outra pessoa. Até hoje acho parvo não dizermos, não estarmos com a pessoa, não fazermos nada senão deixar o tempo nos matar. 

Eu queria morrer no momento em que morresses, talvez só assim pudesse suportar. 

 Peço-te perdão
Se preciso fosse
Faria-o todos dias
Mas isso só abre a ferida.
 Essa raiva que me tens
Será que passa um dia
E voltas a ser meu amigo
Ou nunca gostaste de mim
Nem do que sou agora
Ou imaginas quem sou
E por isso não me olhas?

 Não há ninguém

Só tu

E o amor que construímos

Sem sabermos sequer

Tu és o vinho

Eu sou apenas uma mulher

 Porque me deixas a sofrer tão sozinha
E não te preocupas nada comigo
Nem cuidas de mim com carinho
Sei que fiz trinta por uma linha
Só queria que quisesses estar comigo
Juntinho para nos podermos abraçar
 Preciso de ti
Mas tu não estás
Pergunto-me 
Se alguma vez foste meu
Se ainda és como sinto
Tão forte dentro de mim
Tu és tudo o que é capaz
Já eu entupo-me
De questőes por ser fugaz
Tudo o que a mente leu
E o que foi vindo.
 Afinal o comprimido não resultou:
acordei às 3 da manhã
tendo dormido só desde a 1h
e a tua música nova na cabeça
o refrão como otoverme
ainda tentei contrariar
com meu bem meu mal
os bala desejo ganharam grammy
já imaginava que iriam ganhar
a minha esperança de novo
acabou de acabar
e tenho tanta falta tua
que começo mesmo a desabar
 Quando pessoas diziam que eras meu
Eu negava, dizia que eras livre
Fazia piadas com o que elas diziam
Agora vejo que tudo se virou 
Contra mim estiveram todos
Maldizendo, tentando afastar-nos
Sempre achei todos muito doidos
Porque não sabiam que nós
Nem sequer nos falávamos muito
Por causa também da minha doença
De hiperadrenalina eu não podia
Mas eles viam mais do que eu
Percebi só muito depois
Mas sempre pensei que não eras meu
Que nem sequer precisavas de mim
E eu tinha um bocado de razão
Foi só durante um tempo que servi
Como a todos fui espécie de coração

Thursday, November 17, 2022

Amaro

 "Amarguraste"
Como o café
Que tanto gostas

Sempre dizia
A todos
Mantém-te assim
Coração puro
Não deixes que a vida
Te amargure
Guarda a tua essência
Não sufoques a criança

Advertia 
Porque acontece muito
E é mesmo raro alguém
Que não envelheça
Distraído
Com coração empedernido
Mea culpa para ti também

Ainda sou pelo cacau derretido
Ou mesmo a amêndoa amarga
Esse líquido digestivo
Tu tens há um tempo Amaretto
Eu fiquei com a versão pobre
A nossa bela amarguinha
Que é bem melhor na verdade
Talvez seja eu muito docinha

Wednesday, November 16, 2022

 A tristeza que me depositaste no peito
Quando me partiste o coração
Já tanto e em tanto tempo
Alojou-se tornando-me deserto
Uma terra desolada e árida de afecto
Pisaste-me e enterraste-me no chão.