Saturday, December 12, 2009

Sucumbi no lacónico desejo

deixei-me sonhar

pousei um dedo na ponta
de um teu seio

assim
sem saber sequer

vislumbrei esse teu cume de mulher.

Sonhos partidos
cacos do nada

estava deitado na estrada
como se dorme na própria cama

mas em vez do lençol a cobri-lo
não tinha mais nada senão lama

fora varrido pelo motor potente
do carro do destino

não tive qualquer mágoa derradeira
senão quando segundos antes do último suspiro
abri os olhos e percebi : 
o teu cume era antes uma pedrinha no alcatrão
e aquele lençol negro era o meu fim.