Friday, October 18, 2013

O Meu Amor - Chico Buarque

O meu amor tem um jeito manso que é só seu
E que me deixa louca quando me beija a boca
A minha pele toda fica arrepiada
E me beija com calma e fundo
Até minh'alma se sentir beijada
O meu amor tem um jeito manso que é só seu
Que rouba os meus sentidos, viola os meus ouvidos
Com tantos segredos lindos e indecentes
Depois brinca comigo, ri do meu umbigo
E me crava os dentes
Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz
O meu amor tem um jeito manso que é só seu
Que me deixa maluca, quando me roça a nuca
E quase me machuca com a barba mal feita
E de pousar as coxas entre as minhas coxas
Quando ele se deita
O meu amor tem um jeito manso que é só seu
De me fazer rodeios, de me beijar os seios
Me beijar o ventre e me deixar em brasa
Desfruta do meu corpo como se o meu corpo
Fosse a sua casa
Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz
O silêncio não existe, nunca existiu

no mundo inteiro

apenas os teus lábios o contêm

Tuesday, October 15, 2013

...

Um dia já não me lembrarei de ti,
apenas de um emaranhado de emoções sem rosto.

Lembrar-me-ei que o Futuro virou na curva errada
e que não se espetou de imediato numa árvore
nem teve nenhum acidente fatal
somente um apagar silencioso.

E aí, no meio da névoa do outrora, a luz que persiste é só minha
e de tudo o que sou mas não do que sei.

Sim, um dia já não hei-de ser a guardadora de memórias
que qual elefante porta-as até à sua última viagem.

E os abraços que nos demos unir-se-ão todos
num derradeiro para me levar.

*escrito ao som de Solitude de Ryuichi Sakamoto

Sunday, October 13, 2013

Inventaram que a falta de solidariedade humana resultou numa cegueira branca. Inquiro-me se é o meu sofrimento diário que me está a tornar branca...