Wednesday, January 15, 2014

A redundância do final do tempo

A vontade azul que ninguém consegue mover
cristalizou-se em cume de glaciar
que ninguém consegue alcançar.

A vida de todos eles, envelhecidos,
materializou-se em sonhos perdidos
e deixou-se ficar em tempos idos
a que não mais se pode regressar.

Desejam-se promessas, esperanças, gargalhadas,
ao invés das lembranças desgarradas,
remorsos e arrependimentos
do que também não há-de mais chegar.

A vida já é breve
e o bater cansado do coração
anuncia-se leve
pronto para largar a mão.
Post a Comment