Sunday, May 21, 2017

AutoCineTeatrologia

O actor é um mentiroso
Mente tão absolutamente
que chega a mentir que é outrem
na alteridade que deveras sente.

E os que vêem o que ele mente
Na alteridade actuada sentem bem
Não as duas que ele teve
Mas só as que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.


[adaptação de Autopsicografia de Fernando Pessoa]
Post a Comment