Saturday, February 27, 2010

De onde vem todo este vento?

(I. e P. na sala-de-estar.)
I - Achas que este vento há-de varrer o mundo?
P - Não. Há-de arder.
I - Arder?
P - Sim, esfumaça-se... ou não fosse vento.
I - Não sei como te deixas ficar, com esse contentamento perante a combustão do mundo. Não te dá pena não termos mais tempo?
P - Tempo para quê? A combustão do mundo... se calhar é a única solução para exterminar os piores canalhas da face da Terra.
I - Ora, tempo para nós, para as gargalhadas e carícias em uníssono. Não queria perder-nos antes de nos termos. Entendes?
P - Não. Falas chinês e eu só sei o que está a dar na televisão agora, não sei de mais nada.
I - Irritas-me com a tua ausência marcada nessa indiferença que rasga tudo sem fazer nada.
P (interrompe) - É. Às vezes deixo de existir, não sei para onde vou, um pouco como o vento...
I - Que engraçadinho.
P - Sabes, há coisas que não se devem dizer porque depois não há forma de as retirar, mas ainda assim quero que saibas que se estivesses em apuros e me ligasses da China, eu iria até lá para te salvar.
I (sorrindo) - Ah, pronto, está bem. Que bonito. Obrigada, também não esperava outra coisa de ti.
(pausa)
I - Sabes qual é a raiz quadrada da existência?
P - Lá estás tu com os teus atrofios.
I (interrompe) - Não, era só uma piada, por acaso, tipo charada. A raiz quadrada da existência é PI.
P - Ah, e então?
I - Então, PI é igual a Pessoa Individual.
P - Hmmm, vou levar algum tempo, mas já lá chego... Então e quando é que a tua Pessoa Individual se deixa penetrar pelo meu P*ço Intelectual?
I - Que parvo!... Mais logo? (deitando a língua de fora numa careta)
P - Tens de admitir que foi boa, esta; melhor que a tua, não?
I - É, mas não bate o que tenho para te dizer: estou grávida! E então, hmm, que achas disto agora?
P - Quê? Como é que isso foi acontecer?!
I - (interrompe) Olha, foi o teu P*ço Intelectual quando esteve a brincar com a minha Pessoa Individual.
P - Ah ah ah! Agora estiveste bem.
I (rindo-se também) - Vá, deixa essa caixa comedora de mentes e anda... vamos jantar.
P (desligando a tv e seguindo I, apercebe-se do barulho lá fora...) - Realmente está muito vento!

*=i
Post a Comment